Alimentação ayurveda

Alimentação ayurveda

Segundo o Ayurveda, são três os sustentáculos (Upasthambas) da vida: o alimento, (Ahara), o sono (Svapna) e o controle da atividade sexual (Brahmacharya).

A saúde (Swasthya) depende do uso adequado dessa tríade.

Atendendo corretamente essas 3 necessidades, seu corpo permanece íntegro, com força física (Bala), boa imunidade (Ojas), nutrido (Upacaya) e com bela compleição (Varna).

Alimento Saudável, espírito saudável

Vamos falar de um desses pilares fundamentais: a alimentação ayurveda, considerada por muitos como uma forma de “medicina preventiva”.

A nutrição inicia-se na vida intra-uterina e prossegue do nascimento até o fim da vida. A vida é uma contínua busca por alimento, precisamos nos alimentar diariamente para manter nosso organismo funcionando satisfatoriamente. Da nutrição deriva a produção dos 3 doshas e dos 7 dhatus (tecidos).

A saúde do corpo e da mente depende de uma boa nutrição. Por isso os sábios que acessaram o conhecimento do Ayurveda, há milênios afirmam que a origem das doenças está em grande parte nos erros alimentaresEstes “erros” alimentares vão desde a forma de preparo, até a falta de conhecimento a respeito de quais substâncias são benéficas ou maléficas para cada organismo.

Este é um princípio básico do Ayurveda; cada ser é individual e possui características próprias. Nem sempre um mesmo tipo de alimento é benéfico para todos os indivíduos (o que muitas vezes causa conflitos com os conceitos da nutrição praticados no ocidente).

Critérios fundamentais na nutrição ayurvedica

  • O alimento precisa ser de fácil digestão, cozido e preparado com especiarias;
  • As substâncias possuem diferentes efeitos sobre a mente, atuando no nível sutil;
  • Deve-se respeitar a capacidade de digestão, observando a quantidade de alimento, a hora em que a refeição é realizada e o estado emocional de quem come e de quem prepara;
  • Grau de pureza e integralidade: alimentos mais puro contém mais energia.
  • Compatibilidade entre os diversos componentes de uma refeição: adequada combinação e proporção dos sabores.

O que são os doshas?

O Ayurveda nos ensina que tudo que existe na natureza é composto por cinco elementos: éter, ar, fogo, terra e água.

Tudo que existe ao nosso redor é resultado da combinação destes elementos em diferentes proporções; nós humanos somos compostos por tais elementos, que de acordo com a quantidade de cada um deles, iremos manifestar diferentes características físicas e comportamentais”. É deste conceito que surge a Teoria Tri-Dosha.

Um médico ayurvédico ou um terapeuta especializado é capaz de identificar através de uma extensa anamnese (perguntas ao paciente) quais os elementos fazem parte da nossa constituição original e quais elementos estão causando desequilíbrio na nossa saúde. A constituição original é o nosso dosha, ou seja a quantidade de cada um dos cinco elementos que carregamos no nosso DNA.

Existem três constituições principais: Vata (composta por ár e éter), Pitta (fogo e água) e Kapha (terra e água), e mais onze diferentes combinações; a partir do diagnóstico iremos conhecer melhor o funcionamento do organismo, e assim seremos capazes de fazer escolhas conscientes, que irão manter a saúde do corpo e da mente.

Outro elemento, muitas vezes considerado como o “sexto” elemento, é o AGNI – o fogo digestivo. Ele tem este nome pois a raiz da palavra em sânscrito “ang” significa “explodir” ou “inflamar”. Também conhecido como “fogo do ventre”. Quando o Agni existe em quantidade suficiente não há formação de toxinas no corpo, tudo aquilo que ingerimos somos capazes de digerir. E isto também vale para as emoções. Aquilo que não é digerido pelo organismo, transforma-se em toxina, ou Bio-Toxina.

Fogo digestivo de cada dosha

Veja quais são os alimentos mais indicados para cada um.

Os indivíduos Pitta (fogo e água)

Normalmente tem um fogo digestivo elevado. Eles têm um apetite intenso e um bom poder de digestão, mas geralmente não aumentam de peso excessivamente. Se engordam, perdem peso com facilidade.

O sabor doce é muito indicado para este dosha. Este é um sabor que domina em todas as formas de nutrição, pois todos os alimentos possuem algum nível do sabor doce. Ele aumenta e constrói os tecidos corporais, nutre o corpo, produz saciedade e alegria na mente. Aumenta a vitalidade e preserva a vida. Nossa alimentação deve ter um percentual alto de alimentos doces de boa qualidade, como grãos, raízes, frutas, ghee e mel.

Aqui, estamos falando de alimentos puros e não de doces feitos com açúcares e farinhas refinados, que não contém nenhum valor nutritivo e não são alimentos naturais.

Nos tipos Kapha (terra e água)

O fogo digestivo é fraco. Os tipos Kapha têm um apetite fraco, mas constante. Seu metabolismo é lento, por isso, tendem a ganhar peso mesmo sem comer muito. Os alimentos de sabor mais picante tendem a “secar” o excesso da água dominante na constituição Kapha, e servem como um combustível para a baixa capacidade de digestão. As pimentas, gengibre, alho, semente de mostarda, são muito indicados.

Nos tipos Vata (ar e éter)

O fogo digestivo é variável como a sua natureza oscilante e digestão nervosaEm certos momentos os tipos Vata podem ficar muito esfomeados e em outros momentos sem fome alguma. Por isso, para esta constituição é preciso “enraizar” trazer estabilidade.

Todas as raízes, tubérculos, oleaginosas, e principalmente o ghee trazem a harmonia para este dosha. O fogo digestivo é otimizado quando os doshas e as emoções estão em um estado de equilíbrio. Um apetite moderado e regular com bom poder digestivo é um indicador essencial de boa saúde.

O benefício do uso das especiarias.

Existem substâncias que são capazes de melhorar a força da nossa digestão, ou seja, aumentar nosso fogo digestivo. São elas as aromáticas especiarias, muito conhecidas quando falamos sobre a culinária tradicional indiana.

Outro ponto muito importante: alimentação ayurvédica não é comida indiana; aliás a culinária da Índia pode ser bem pesada e gordurosa em algumas ocasiões. Poderosas e extremamente úteis, temperos extraídos de raízes e sementes são como os diferentes ingredientes num caldeirão de bruxa.

Adeptos e simpatizantes costumam ampliar a quantidade de diferentes recipientes em suas cozinhas. Os temperos mais picantes, são os indicados para aumentar a digestão. Tal como gengibre, páprica e as diferentes pimentas.

Os mais aromáticos, além de ajudar a digestão, purificam o sangue e aumentam a nossa imunidade (Ojas) deixando o corpo menos suscetível às doenças. Como o cominho, açafrão, coentro, feno grego, cardamomo.

E não são somente os adultos que devem incluir as especiarias na alimentação. Algumas dicas válidas para a dieta ayurvédica:

  • A gestante que tem o hábito de condimentar suas refeições com estes temperos, terá mais facilidade no momento da introdução alimentar de seus filhos.
  • Papinhas que são cozidas com leve toque de especiarias, proporcionam uma boa proteção contra gripes, resfriados e outras doenças, garantindo uma melhor saúde para o bebê.

Na medicina ayurvédica, a alimentação consciente é fundamental para manter o equilibrio vital.

Se você gostou, não esqueça de avaliar o artigo

Avaliação: 4/5 (4 votos)
Por favor, ajude-nos a compartilhar esta página em suas redes sociais para que possamos alcançar mais pessoas que precisam de nossa ajuda nesses temas. Você só precisa clicar em um dos botões abaixo. Obrigado!

Participa, deixe seu comentário

Outros artigos

Massagens ayurvédica em Salvador

massagens ayurvedica em salvador

Para aqueles que desejam conhecer os benefícios da massagem ayurvédica, a cidade de Salvador apresenta várias opções e com profissionais qualificados e que podem te ajudar.

Massagem ayurveda – São Paulo (SP)

massagem ayurveda são paulo

A massagem ayurvédica é de origem indiana e mistura técnicas de Yoga e Ayurveda. Tem por objetivo ajudar a oxigenar o corpo, melhorando a circulação e liberando emoções reprimidas.

Historia e origem da medicina ayurveda

história e origem da medicina ayurveda

A história e origem da Medicina Ayurveda e seu contexto de uso é mais antigo do que se pode imaginar. Sabe-se que é um dos sistemas de saúde mais antigos que se tem conhecimento.